Estado de calamidade vai manter-se na Amadora e Odivelas

O estado de calamidade vai manter-se em Odivelas e Amadora, assim como em algumas freguesias dos municípios de Lisboa, Loures e Sintra, independentemente da decisão a tomar para o território nacional, anunciou hoje o primeiro-ministro.

O primeiro-ministro referiu que, na quarta-feira, haverá uma nova reunião com epidemiologistas no Infarmed, em Lisboa, com a participação do presidente da República e dos partidos com representação parlamentar, tendo em vista avaliar a evolução do país no combate à covid-19 e, em função dessa análise, adotar a decisão relativamente ao conjunto do território nacional.

Mais polícia nas ruas, novas horas de encerramento para lojas e cafés, multas e um passo atrás nos ajuntamentos. O estado de calamidade deverá continuar em cinco concelhos da malha urbana de Lisboa, numa altura em que a capital recua no desconfinamento, perante o aumento de casos acima de qualquer outra região do país.

Com Lisboa no centro das atenções, depois de uma reunião com mais de cinco horas, com os autarcas dos concelhos mais afetados da capital, o primeiro-ministro anunciou novas regras para a região. As cercas sanitárias não avançam, mas a zona continuará sob mais medidas que o resto do país, no dia em que registou 164 dos 259 novos casos em Portugal.