Samarras de Santa Eulália finalistas das 7 Maravilhas da Cultura Popular

As Samarras, ou capotes, de Santa Eulália, das Confeções Ima, são finalistas distritais às 7 Maravilhas da Cultura Popular, na categoria de artefactos.

De acordo com Rosária Grilo, responsável pela candidatura e membro da empresa, explica que foi a própria organização quem a contactou, uma vez que sentiram a falta destes trajes, com tanta história, no concurso.

“Fazemos estas peças com muito orgulho, pois gostaríamos de as dar a conhecer a todo o mundo e, principalmente a todo o nosso Portugal, que às vezes, em alguns sítios, não têm conhecimento de que aqui as fazemos e avancei com uma candidatura a título individual”, adianta Rosária Grilo.

Esta participação serve ainda, segundo Rosária, para que a própria empresa perceba até onde as suas samarras podem chegar. Contudo, confessa, “nunca esperava que as mesmas fossem tão longe” no concurso.

As Confeções Ima têm mais de 90 anos de existência no fabrico da Samarra Tradicional, continuando a fabricá-la em burel. São, atualmente, a única fábrica que existe em Portugal.

No distrito de Portalegre, para além das Samarras de Santa Eulália, estão a concurso a Ronca de Elvas, as Festas do Povo de Campo Maior, o Barro Branco da Flor da Rosa, no Crato, os Bordados com casca de castanha e as choças de Marvão, tal como a Olaria Pedrada de Nisa.

No próximo domingo, dia 21, são divulgados os números de telefone atribuídos a cada património candidato, num programa transmitido em direto na RTP1.