“O Tapete está na Rua” (Arraiolos) online até domingo

O evento anual de promoção do Tapete de Arraiolos “O Tapete está na Rua” assume este ano formato online, com conteúdos nas redes sociais e páginas de Internet municipais, entre terça-feira e domingo, devido à Covid-19. “Nos dias em que estava programada” a iniciativa que, anualmente, valoriza e dá a conhecer, pelas ruas da vila, a tradicional tapeçaria de Arraiolos, a autarquia “promove uma abordagem diferenciada” com o mesmo fim, através da Internet.

O programa, de terça-feira a domingo, entre dias 9 e 14 de junho, integra dois concertos gravados previamente, a iniciativa “Tertúlias à Distância” e a apresentação de vídeos temáticos e retrospectivas do evento, desde a primeira edição, em 2003, até à do ano passado.

“Música e Património” é o tema da “banda sonora”, cujo primeiro concerto é o de Henrique Leitão, intitulado “Reencontro”, gravado na Igreja da Misericórdia e transmitido na noite de quarta-feira, no Facebook da câmara e no site. O outro espectáculo musical, designado “Casa Vazia”, é protagonizado por Carlos Leitão, tendo sido gravado no Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos (CITA) para ser exibido no sábado (dia 13) à noite, nas mesmas páginas na Internet.

Quanto aos vídeos retrospectivos, o primeiro reúne “imagens das cerimónias de inauguração dos vários anos e das muitas exposições”, sendo divulgado online na terça-feira. Reconstituições históricas do processo artesanal do Tapete de Arraiolos, as edições da Feira do Livro e apresentações de obras, as conferências, workshops, actividades infanto-juvenis, os produtos locais ou os concertos e acções de animação de rua realizados ao longo dos anos são outros dos temas dos vídeos, transmitidos ao longo da semana.

As “Tertúlias à Distância” que integram igualmente a programação, sempre a cargo de um comunicador, vão abordar “temáticas diversas na área dos Tapetes de Arraiolos”, assinalou ainda a organização.

A tapeçaria de Arraiolos, segundo a presidente da câmara, Sílvia Pinto, é “uma das mais genuínas” expressões artísticas de Portugal e reveste-se de “enorme significado para o artesanato português”. No seu formato habitual, o que não acontece este ano, o evento atrai muitos visitantes e “enche” o centro histórico com “dezenas de exemplares de tapetes, matizando de mil cores o casario branco característico de Arraiolos e do Alentejo”, segundo o município. A Câmara Municipal aguarda, há vários anos, pela certificação dos tradicionais tapetes, pretende candidatar o Tapete de Arraiolos a Património Cultural Imaterial da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).