Fortificação Abaluartada de Campo Maior apresentada à ministra da Cultura

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, depois de ter visitado, neste domingo, 7 de junho, as obras do Museu de Etnografia e Arqueologia de Elvas, seguiu para Campo Maior, onde conhecer projeto do futuro percurso interpretativo e a própria obra da Fortificação Abaluartada da vila.

“É extraordinário o investimento aqui feito e a recuperação deste espaço, não só pela sua importância enquanto património, mas também pelas oportunidades que este espaço abre para a programação cultural”, assegura a ministra.

Graça Fonseca considera que será interessante, pelo que irá lançar o desafio ao presidente da Câmara de Elvas, Nuno Mocinha, que seja feita uma articulação entre a fortificação campomaiorense e tudo o que ela envolve, com o Forte da Graça. Com isto, a ministra considera que se poderá “fazer uma programação cultural em rede, que poderá ser uma importante âncora neste território”.

João Muacho, presidente da Câmara de Campo Maior, assegura que as obras ao nível da fortificação, que estão em curso, deverão ser terminadas entretanto, apontando para outubro a abertura ao público. O autarca revela ainda que o investimento total nesta obra, que inclui, entre outros, o projeto museológico, o centro interpretativo e de acolhimento aos visitantes da fortificação e o percurso interpretativo, é superior a cinco milhões de euros, cofinanciada pela União Europeia.