“Humilhados pela população”, carteiros de Elvas exigem condições de trabalho

Os trabalhadores dos CTT de todo o país estão hoje, sexta-feira, 29 de maio, em greve, devido ao facto da empresa querer implementar, em termos do pagamento de subsídio de refeição, o “cartão de alimentação”.

No caso específico de Elvas, a situação é mais complexa, sendo que os trabalhadores estiveram reunidos, em plenário, na passada segunda-feira, dia 25, pelo que decidiram, para além de participar nesta greve de hoje, marcar também greve ao segundo período de trabalho, de 18 a 26 de junho. Isto deve-se, e de acordo com o dirigente regional do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações, João Maneta, ao facto de, por esta altura, estarem a trabalhar mais duas a três horas por dia, sem terem visto os seus salários aumentados.

Para além disso, “sentem-se humilhados pela população”, tendo em conta o atraso que se tem verificado na distribuição do correio na cidade. João Maneta explica que, por esta altura, os CTT decidiram que não há distinção entre correio prioritário e não prioritário. Para além disso, o correio chega agora a Elvas “todo trocado”, o que obriga os carteiros a perder tempo a colocar a correspondência por ordem, o que lhes veio atrasar o serviço “entre meia hora a 45 minutos”.

Os trabalhadores, adianta Maneta, veem-se a braços com dificuldades em cumprir os seus períodos de férias, uma vez que não têm quem os substitua. “Há dois trabalhadores a quem foram interrompidos os períodos de férias, há outro que está em assistência à família e a situação está longe de ser resolvida”, explica.

João Maneta, que reconhece a qualidade dos trabalhadores dos CTT de Elvas, adianta que o problema que se verifica tem tudo a ver “com a gestão que é feita” no posto da cidade. A falta de trabalhadores, garante ainda, “é também por culpa da gestão local”. Perante estas condições, adianta, não há quem queira trabalhar nos CTT, em Elvas, a receber o salário mínimo nacional.

Para além da greve de hoje, a nível nacional, está agendada uma outra para o dia 12 de junho.