Compra de máscaras comunitárias na rubrica da DECO

A oferta de máscaras sociais não para de crescer mas há que ter alguns cuidados na hora de adquirir este produto, já que as características, a composição e, sobretudo, a segurança podem diferir muito entre modelos.

Este é o tema desta semana da rubrica da DECO, com Helena Guerra, delegada regional da Associação Para a Defesa do Consumidor em Évora, que lembra que as pessoas devem ter a certeza, na altura da compra, que estão perante produtos testadas por laboratórios com competência técnica reconhecida.

Assegurarem, no mínimo, 70% de filtração é um requisito obrigatório. Apesar de a maioria das máscaras sociais ser reutilizável, a utilização deve obedecer às mesmas regras das máscaras cirúrgicas e respiratórias: não devem ser usadas de forma contínua por mais de quatro horas ou a partir do momento em que fiquem húmidas.