Taberna “O Ministro” reabre ao público e mantém take-away

O Governo autorizou a abertura de restaurantes, cafés e esplanadas, esta segunda-feira, dia 18, mas com algumas limitações e com todas as medidas de proteção e higiene emitidas pela Direção Geral da Saúde.

A Rádio Campo Maior esteve na Taberna “O Ministro” para perceber quais as adaptações que foram feitas para esta reabertura.

João Paulo Borrega, proprietário do estabelecimento refere “o espaço foi adaptado contando apenas 50% da sua lotação”. No interior conta agora com 12 lugares e na esplanada com 16.

O proprietário explica que “dentro das expetativas e atendendo ao espaço, que é reduzido, a reabertura está a correr bem, tendo em conta as medidas adotadas”. O estabelecimento dispõe de álcool gel em todas as mesas, balcão e também na zona da esplanada”, e João Paulo refere que “há muita limpeza, o espaço é lavado cerca de oito a dez vezes por dia”.

O que agora é necessário é dar confiança ao cliente, explica João Paulo, e afirma que “nos primeiros dias a população campomaiorense aderiu de forma positiva, no primeiro dia no interior encheu sala e meia, entre o almoço e o jantar”.

João Paulo Borrega revela que apesar de ter aberto portas ao público, vai manter o serviço de take-away, uma vez que o mesmo “teve uma boa aceitação”. A continuação deste serviço tem também como objetivo “colmatar os lugares que não podem ser ocupados fisicamente, garantir os dois postos de trabalho”, que para João Paulo “é o mais importante”, e regularizar algumas contas.

Ao contrário do que seria esperado, na Taberna “O Ministro” os preços baixaram “em 20% no take away e no menu cerca de 1.50 euros/ dois euros”, revela o proprietário “para não existir um choque de preços, uma vez que compreende que as pessoas também perderam rendimentos e o dinheiro é pouco”.

João Paulo Borrega apela aos campomaiorenses para que “consumam na vila, somos poucos comerciantes em Campo Maior” e espera que que cada um consuma no seu concelho, compre aos produtores locais”.