Castelo de Vide apta para defesa de fogos na serra

Desde o passado dia 15, foi acionado o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais que se mantém até outubro. Na prática, equivale a dizer que aumentou o nível de operacionalidade e de prontidão dos bombeiros, porquanto todos sabemos da importância de atacar rapidamente o fogo no momento da ignição, para evitar grandes incêndios.

Neste contexto, a Equipa de Intervenção Permanente dos Bombeiros Voluntários de Castelo de Vide “vai ter um papel importante para o grande desafio que temos pela frente em mais um verão que se aproxima”, considera a Câmara Municipal, em especial “depois de um inverno e primavera com chuva abundante, que produziu muita matéria combustível nos campos”. A Serra de São Mamede, após os trágicos incêndios que, nos últimos anos, têm fustigado o nosso País, é considerada área vulnerável do território nacional, visto que já quase duas décadas decorreram sobre os últimos grandes incêndios.

Assim, em Castelo de Vide, segundo a Câmara Municipal, “o grande desafio em mais um verão é defender agora o concelho, muito particularmente a nossa Serra de São Paulo, que está frondosa e verdejante como nunca”. No ano passado, recorda a autarquia castelovidense, “apanhámos um grande susto que só não teve consequências trágicas graças à operacionalidade e coordenação dos meios, com o fundamental e robusto apoio dos meios aéreos que foram totalmente eficazes.

Desta maneira, o Município de Castelo de Vide confia na “competência e experiência, reconhecidas aos comandantes Rui Conchinha e António Raimundo”, a quem entrega “a coordenação dos meios, em particular dos seus homens que agora vão estar na linha da frente pela salvaguarda do nosso património rural e florestal, num espírito de cooperação com a Guarda Nacional Republicana, Sapadores Florestais, Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e demais agentes envolvidos nesta missão”.