Portugal com mais seis mortes e 264 infetados Covid

Portugal registou, nas últimas 24 horas, seis mortes (+0,5%) provocadas pela pandemia de Covid-19, totalizando esta sexta-feira, dia 15 de maio, 1190 mortes desde a chegada do coronavírus a Portugal.

Seis mortos em 24 horas é o valor mais baixo registado nesta pandemia desde 26 de março, de acordo com os boletins diários da Direção-Geral de Saúde.

No que diz respeito ao número de infetados, são 28.583 infetados, 264 (+0,9%) de ontem para hoje. Há já 3328 casos de recuperação em Portugal, 130 de quinta para sexta-feira.

De ontem para hoje, Portugal teve mais seis mortos, mais 264 infetados, menos sete pessoas hospitalizada, mais quatro doentes em cuidados intensivos e mais 130 pessoas recuperadas.

Os atuais 1190 mortos, em Portugal, estão registados 677 no Norte, 221 no Centro, 262 em Lisboa e Vale do Tejo, um no Alentejo, 14 no Algarve e 15 nos Açores. A Madeira é a única região portuguesa sem casos mortais. Os 28.583 infetados foram detetados 16.214 no Norte, 3598 no Centro, 7951 em Lisboa e Vale do Tejo, 240 no Alentejo, 355 no Algarve, 90 na Madeira e 135 nos Açores.

No território nacional, a Covid-19 tem 258.004 casos não confirmados; 25.792 situações estão em vigilância; 2722 pessoas aguardam resultados; temos 673 doentes hospitalizados (menos sete que ontem); há 112 pacientes em unidades de cuidados intensivos (mais quatro que ontem); temos 3328 casos de pessoas recuperadas (mais 130 que ontem); e, desde 1 de janeiro deste ano, 289.309 é o total de casos registados.

Na última semana, em Portugal, as percentagens diárias de aumento do número de pessoas infetadas têm sido as seguintes: sexta-feira 8 de maio 2,1%; sábado 9 de maio 0,5%; domingo 10 de maio 0,6%; segunda-feira 11 de maio 0,4%; terça 12 de maio 0,8%; quarta-feira 13 de maio 0,8%; quinta 14 de maio 0,7%; e sexta-feira 15 de maio 0,9%.

Pela sua saúde e pela saúde de todos, a Rádio ELVAS aconselha a lavar as mãos muitas vezes, manter a distância mínima de dois metros com outras pessoas, ficar em casa e usar máscara sempre fora de casa, agora com mais pessoas na rua.