STAL condena prestação de serviços na recolha de lixo em Elvas

Depois da Câmara Municipal de Elvas fazer saber que pretende fazer uma prestação de serviços para a recolha de lixo no concelho, como a Rádio ELVAS avançou (ver aqui), a Direção Regional de Portalegre do STAL, Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional, revelou já que condena esta intenção do município.

José António Cardoso, coordenador da delegação regional do STAL, garante que estes processos trazem sempre “custos acrescidos para os trabalhadores” e um aumento dos preços para os munícipes. “Temos um exemplo muito bom aí em Elvas, que foi a privatização da água, que trouxe o aumento muito significativo. O mesmo acontece com os resíduos sólidos, que de certeza absoluta que vamos ser nós a pagar na fatura”, explica.

“O serviço seria muito mais bem prestado pela autarquia, na organização dos serviços, na higienização dos contentores e das ruas”, acrescenta.

Os postos de trabalho, com esta prestação de serviços, diz ainda José António Cardoso, “vão desaparecer do poder local”. “Para o STAL, o serviço municipal reúne todas as condições para prestar, com vantagem relativamente ao sector privado, cujo principal objetivo é o lucro, melhores serviços às populações e melhores condições de trabalho aos trabalhadores que executam essas tarefas”, pode ler-se no comunicado emitido pelo STAL.

“O caminho é apostar e investir na modernização do serviço público de resíduos. Essa é a melhor forma de salvaguardar os interesses dos trabalhadores e das populações”, pode ler-se ainda no comunicado.