Mocinha: recolha de lixo por privado permite poupança à Câmara

Os eleitos do município de Elvas reúnem hoje, quarta-feira, dia 13 de maio, em reunião de Câmara, sendo que um dos pontos de trabalho é um concurso público internacional de serviços de recolha e transporte de resíduos urbanos.

Desta forma, este serviço poderá passar a ser assegurado, na sua totalidade, por uma empresa privada, quando era, até aqui, e em parte, feito por colaboradores e viaturas da câmara.

Nuno Mocinha, presidente da Câmara de Elvas, garante que, na verdade, este concurso “não traz nada de novo àquilo que já se faz”, até porque, neste momento, já “há circuito e meio a ser assegurado por uma empresa”. “O carro do lixo não é da câmara, os funcionários não são da câmara; aquilo que a câmara contrata é um serviço e é isso que se trata: em vez de fazer só um circuito, a empresa que venha a ganhar terá de fazer todos os circuitos necessários”, explica Mocinha.

O presidente adianta que, com uma empresa externa, o serviço será assegurado com custos menores para a autarquia. “É um serviço que nunca falha e havia duas opções: ou nós contratávamos mais pessoas, dávamos-lhes a devido formação e comprávamos outro tipo de equipamentos, ou então optávamos por um serviço que já conhecemos”, acrescenta.

“Existe um preço base acima do qual as empresas não podem concorrer, se não são excluídas, e este preço base é inferior àquilo que custa à própria câmara”, explica ainda o autarca.

A reunião de câmara tem início marcado para as 10 horas, sendo que decorre por videoconferência.