Creches não aceitam crianças sem mensalidades em dia

As creches só querem aceitar crianças com mensalidades em dia e pedem para reabrir já em maio. A medida é defendida pela Associação de Creches e Pequenos Estabelecimentos de Ensino Particular (ACPEEP), que teme que muitos dos seus associados não sobrevivam à quebra de receita. Em cerca de 35 por cento das creches associadas da ACPEEP, foram registadas quebras de 50 por cento na faturação.

Apesar de ainda não haver data oficial para a reabertura das creches portuguesas, se bem que 1 de junho seja a data mais apontada, a ACPEEP deixa o aviso: pais que deixaram de pagar mensalidades, sem qualquer acordo com o estabelecimento de ensino, vão ter um regresso mais complicado. “Houve quem achou que não devia continuar a pagar as creches e não o fizeram; se quiserem regressar agora, terão de resolver essa situação; não seria justo fazer de outra forma por causa dos pais que mantiveram os pagamentos”, afirmou Susana Batista, presidente desta associação.

A responsável explicou que houve “situações de pais com dificuldade em pagar as mensalidades”, por terem visto “os seus rendimentos reduzidos” ou por terem “ficado desempregados” e que se chegaram à frente e foram definidas soluções de pagamento mais leves e ajustadas. “Tentou-se ajudar e encontrar soluções como reduzir mensalidades ou pagamentos faseados”, afirmou Susana Batista, que assegura que “estas pessoas não vão ter problemas na reabertura, porque houve um acordo prévio”.

O pior é mesmo o caso de “pais que rescindiram contrato por achar que os estabelecimentos já não iam abrir até ao final do ano letivo”, ou os que “acharam que não deviam pagar qualquer mensalidade já que as aulas foram suspensas. Serão estes exemplos os que terão mais dificuldades quando for dada a autorização de reabertura.