Campo Maior: obras de requalificação prosseguem a bom ritmo

O Município de Campo Maior tem feito uma aposta forte na requalificação, não só das muralhas da vila, como em vários edifícios antigos que, dentro em breve, darão lugar, entre outros, a espaços museológicos ou centros interpretativos.

Apesar dos constrangimentos e dos impactos da pandemia Covid-19 em todos as áreas da sociedade, a verdade é que estas obras nunca pararam e continuam a decorrer a bom ritmo.

João Muacho, presidente do município campomaiorense, assegura que, neste período de tempo, ainda se iniciaram mais duas obras, sendo que, no caso das restantes, os prazos para a conclusão das mesmas estão dentro do previsto.

“As cinco ou seis obras que tínhamos em curso mantêm-se todas e até iniciámos mais duas: a construção do Centro de Recolha Oficial de Animais e outra, relacionada com os arranjos do rés-do-chão do  Balcão Único”, adianta.

Muacho adianta que vão ser construídas, entretanto, cinco habituações, no antigo edifício do Bilhar, pertencente à Santa Casa da Misericórdia, para além de, dentro de dias, ser assinada a consignação de mais uma obra.

O autarca aponta ainda como obras estratégicas para o futuro, entre outras, a requalificação dos quartéis do tronco. Junto das fortificações abaluartadas da vila, lembra ainda Muacho, nascerá um centro interpretativo. Quanto às obras do Centro Interpretativo das Festas do Povo, o autarca garante que prosseguem a bom ritmo.

Com estas obras de requalificação, o município procura não só proporcionar todas as condições aos campomaiorenses, assim como, e a pensar numa vertente turística, acolher da melhor maneira possível aqueles que visitam o concelho.