Évora toma medidas relacionadas com o desconfinamento

As equipas de coordenação e de Saúde e Segurança do Plano de Contingência Municipal de Évora reuniram, a dia 4 de maio, para efetuar o ponto da situação sobre a pandemia no concelho. Desta reunião, saíram orientações gerais, ao nível da prestação dos serviços públicos e dirigidas ao funcionamento interno do Município.

Carlos Pinto de Sá, presidente da Câmara Municipal de Évora, sublinhou que o concelho “mantém uma situação de não-contágio comunitário pela pandemia Covid-19 e que os 19 casos ativos de infeção são residuais”. Além disso, o autarca eborense realçou que “o município tem cumprido com êxito o plano de contingência delineado, não tendo existido trabalhadores infetados com o vírus, até ao momento”.

As orientações da Direção-Geral de Saúde devem continuar a ser cumpridas e a atividade municipal adequada à situação de calamidade. Foi referido que a primeira onda da pandemia tem tendência para diminuir, o que depende, em larga medida, do comportamento da população e do cumprimento da distância física, desinfeção das mãos e protocolo respiratório.

Foi abordada a possibilidade de existir uma segunda vaga da pandemia a partir de setembro, pelo que assegurar proteções coletivas e, em complemento, proteções individuais é também fundamental.

Em relação à prestação de serviços públicos pelo município, as orientações vão no sentido de reiniciar o atendimento presencial com marcação prévia e implementar as barreiras acrílicas já adquiridas ou produzidas. Vão reabrir, no próximo sábado dia 9, parcialmente e com as restrições definidas na legislação, o Complexo Desportivo Municipal e o Circuito de Manutenção, no Alto dos Cucos, e está a ser preparada a reabertura do Jardim Público.

A edilidade vai também preparar a reabertura dos jardins-de-infância, garantindo os equipamentos de proteção individual da sua responsabilidade, de acordo com o previsto na legislação. Neste âmbito, a Segurança Social vai assegurar testes Covid-19 aos trabalhadores das creches, que devem estar concluídos até ao próximo dia 18.

Durante esta primeira fase de desconfinamento, a Câmara Municipal de Évora, em conjunto com a Segurança Social e a Unidade de Rede, vai avaliar a necessidade de manter o Monte Alentejano, no Rossio de São Brás, como espaço de acolhimento a pessoas sem-abrigo. Está ainda previsto o apoio ao Hospital do Espírito Santo, garantindo os acessos ao quartel das Mesquitas, junto ao Teatro Garcia de Resende, para instalação de parte do serviço de consultas externas.

Quanto ao estacionamento tarifado, será implementada uma aplicação digital móvel (app) gratuita, fornecendo alternativa ao uso dos parquímetros.