Estabelecimentos fechados têm fatura por estimativa

À redação da Rádio ELVAS chegou a informação que alguns estabelecimentos comerciais, encerrados desde meados de março, estariam a receber faturas de água com valores relativos aos resíduos sólidos, algo que não é produzido estando o estabelecimento encerrado.

Um desses casos foi o de Nicolau Carrilho, proprietário da Casa da Adélia, na Rua de Alcamim, em Elvas, que nos explicou a situação garantindo que acha “injusto estar a pagar por algo que não produziu. A fatura, no valor de cerca de 60 e poucos euros, diz respeito ao mês de março e tem cerca de 29 euros para pagar de consumo de água, sendo o restante de resíduos sólidos variáveis”.

Nicolau afirma que não quer que lhe “façam favor nenhum. Quero é pagar o que é justo e o que eu criei. Se não criei resíduos não deveria pagar. Esta fatura já está paga agora é ver o que vêm na de abril, mês em que estivemos sempre encerrados”.

João Carlos Lopes, responsável de Comunicação e Marketing da Aquaelvas, explica que, “mensalmente, cada cliente recebe duas faturas no documento: uma da Aquaelvas, referente à faturação da água e dos saneamentos, e outra do município, relacionada com os resíduos sólidos. Tanto o saneamento como os resíduos sólidos estão relacionados com o consumo de água que é feito. Quando foi decretado o estado de emergência, a maior parte dos comércios tinha a leitura feita e a faturação feita. Nos locais onde o contador estava inacessível, fizemos a estimativa de acordo com as indicações dadas pela entidade reguladora: primeiro por estimativa em relação aos dois consumos anteriores considerados válidos; não havendo dois consumos anteriores válidos, a estimativa é feita em relação ao mesmo período do ano anterior e caso estas duas opções não sejam possíveis, é feita a faturação pelo consumo à posteriori.

Os consumidores aguardam agora a chegada da fatura relativa ao mês de abril, que acontece proximamente. João Carlos Lopes explica que “em todos os comércios encerrados onde foi possível ler o contador, a fatura é feita de acordo com os consumos. Ora, se os comércios estiveram encerrados terão todos os valore a zero. Tudo depende do consumo. Em todos os comércios encerrados onde não foi possível fazer a leitura, a estimativa foi feita a zero. No caso, por exemplo, dos restaurantes em regime de take away, onde não foi possível aceder ao contador, foi feita uma estimativa tendo em conta os dois meses anteriores”.