PCP do Alentejo quer “combater a exploração e a demagogia”

A Direção Regional do Alentejo (DRA) do Partido Comunista Português (PCP) emitiu uma nota onde garante estar a “Defender a saúde pública e o Poder Local Democrático” e, ao mesmo tempo “combater a exploração e a demagogia”.

Para o PCP alentejano, a atual pandemia “revelou a importância e papel do Serviço Nacional de Saúde e dos seus profissionais e de todos os que asseguram funções e serviços essenciais, bem como do Poder Local Democrático”. O PCP saúda “todos aqueles que com o seu trabalho e o seu esforço têm assegurado serviços e funções essenciais na saúde, na educação, na proteção das populações, na recolha do lixo e higiene urbana, na venda de bens alimentares e no acompanhamento de idosos, entre tantos outros”.

A DRA do PCP “valoriza o papel que o Poder Local tem desempenhado no surto epidémico Covid-19” e “denuncia a intensa campanha de demagogia promovida, em particular por eleitos autárquicos do PS na região, animada e alimentada por vários órgãos de comunicação social”. Os comunistas, “ao invés de uma valorização balofa do papel daqueles que estão na linha da frente como entre outros os trabalhadores das autarquias”, defendem que “o que importaria era que o governo avançasse com a regulamentação e aplicação do subsídio de penosidade e risco, designadamente e a título de exemplo para os trabalhadores da recolha do lixo, ou com a regularização dos vínculos precários e o pagamento integral do trabalho extraordinário aos milhares de trabalhadores que prestam serviço público”.

Para o executivo da DRA do PCP, “não basta que o Governo excecione as condições de endividamento das autarquias para um conjunto de elementos correlacionados com a Covid 19, mantendo o não cumprimento integral da Lei das Finanças Locais”.

A DRA do PCP defende que “urge criar as condições para que as autarquias cumpram ainda mais e melhor as suas atribuições e competências; tal como a vida comprova o que urge é que se reponham as freguesias roubadas ao povo e que, ao invés do simulacro de democratização das CCDR, se dê passos no sentido da regionalização, cumprindo a Constituição da República”.

Por fim a DRA do PCP “alerta ainda para a urgência de o Governo dar efetivos passos” para grandes obras: construção do Hospital Central do Alentejo, em Évora, construção da segunda fase do hospital de Beja, reforço e alargamento da rede de cuidados primários de saúde, Barragem do Pisão, no concelho do Crato, e vias de comunicação rodo e ferroviárias.