Mocinha vê “grande incerteza” neste 1º de Maio

Na página do Facebook do Município de Elvas, o presidente da câmara municipal, Nuno Mocinha, numa mensagem dedicada ao Dia do Trabalhador, reconhece que “este 1º de Maio de 2020 surge, nas nossas vidas, em período de grande incerteza”. O autarca defende que a data, este ano, nos “obriga a ir mais longe: a pensar nos que trabalham e nos que não podem trabalhar, em especial nos milhares que deixaram de poder ter a atividade profissional que permitia sustentação ao próprio e aos seus”.

Nesta mensagem, Mocinha recorda que o 1º de Maio, em Portugal, é assinalado há 46 anos e afirma que “na nossa organização social, podemos considerar que trabalhador é todo aquele que tem uma atividade pela qual faz alguma coisa para a comunidade e é remunerado por tal, num leque muito aberto: do operário ao intelectual, da agricultura aos serviços, do comércio à indústria, de quem trabalha por conta própria aos que trabalham para outras entidades”.

Com os olhos postos na retoma da economia, o presidente da Câmara Municipal de Elvas deixa uma palavra de esperança: “para todos os trabalhadores do concelho e aos elvenses que trabalham fora do município, desejo que, em breve, seja possível retomar uma atividade laboral digna e integrada nos novos desafios”.

Finalmente, atento à realidade sanitária que temos vivido nas últimas semanas, o autarca dirige-se a “todos os que agora estão na chamada linha da frente”, para reconhecer e agradecer “o trabalho que têm desenvolvido, nas últimas semanas, tão intensamente, a favor de muitos de nós”.