Costa alerta: “a pandemia mantém-se ativa “

António Costa anunciou o desagravamento das restrições, mas avisou: “não quer dizer que a pandemia esteja ultrapassada e o risco esteja vencido. A pandemia mantém-se ativa “, explicando o primeiro-ministro que os portugueses vão agora passar por varios “degraus”, três neste caso, para passar do estado de emergência, que termina dia 2, para entrar na fase do estado de calamidade a 4 maio. Altura em que o país começará a retomar alguma atividade económica, que irá progressivamente sendo reativada até 1 de junho.

E se tudo correr bem em cada uma das fases. “Nunca terei vergonha de dar um passo atrás se for para o bem essencial que é a segurança dos portugueses”, disse António Costa. As medidas vão, por isso, ser avaliadas de 15 em 15 dias.

Do pacote de medidas até 1 de junho ficam de fora os ginásios, desportos coletivos e o acesso às praias. O apoio às famílias vigoram mais um mês após o fim do estado de emergência. O Conselho de Ministros aprovou um conjunto de medidas esta quinta-feira, no Palácio da Ajuda, que António Costa apresentou ao Presidente da República antes de as revelar publicamente

Veja aqui o gráfico do Governo: