Romenos retidos no Caia ficam em Elvas (c/vídeo+fotos)

Quinze trabalhadores romenos ficam instalados no Centro de Negócios Transfronteiriço de Elvas (CNT) depois de terem sido impedidos ontem pelas autoridades espanholas de entrar no País vizinho.

O grupo de cidadãos romenos chegou ontem a Lisboa, deslocou-se em direção a Espanha e no Caia espanhol foram devolvidos, pela Polícia Nacional de Espanha, a Portugal por não terem contrato de trabalho. Pernoitaram de sábado para domingo na zona do parque de estacionamento, junto à Alfandega.

Quatro pessoas conseguiram ainda neste domingo provar que tinham contratos de trabalho e seguiram para a região de Sevilha, em Espanha,  e os restantes quinze ficaram a aguardar a regularização da situação, acompanhados pelas autoridades portuguesas.

Esta manhã, foi acionada a proteção civil de Elvas, tendo o presidente do município elvense, Nuno Mocinha, em articulação com a GNR e PSP acompanhado toda a situação.

As autoridades de saúde decidiram que estas pessoas deviam realizar testes ao COVID-19, tendo por isso um autocarro da município transportados os trabalhadores romenos até ao Hospital de Santa Luzia, onde foram efetuados os testes. As amostras serão enviadas, ainda hoje, para Lisboa e as pessoas vão ficar confinadas na ala direita do CNT durante esta noite e enquanto estiverem a aguardar pelos testes do COVID.

Se entretanto os testes forem negativos, poderão sair do CNT para Espanha se tiverem a necessária documentação.