Portáteis da câmara estão operacionais e Mocinha “não quer enganar ninguém”

No seguimento do comunicado que o Agrupamento de Escolas n.º 1 de Elvas fez chegar aos encarregados de educação, dando a conhecer os motivos pelos quais não faria chegar os computadores portáteis que a Câmara de Elvas colocou à disposição, para fazer face ao sistema de ensino à distância (ver notícia aqui), assim como às acusações de que tem sido alvo, o presidente do município, Nuno Mocinha, vem esclarecer a situação.

À Rádio ELVAS, Mocinha garante que os 900 computadores portáteis, que podem funcionar como tablets, estão preparados para que os alunos possam realizar todos os seus trabalhos, com acesso gratuito, entre outros, ao Microsoft Office.

“O presidente da câmara só tem uma palavra e não se dedica a enganar ninguém”, começa por dizer, alegando que, ao ser chamado de mentiroso, vê-se na obrigação de explicar que os computadores, em questão, não servem somente para jogar. “Esses computadores estão preparados para que, desde que seja criado pelos agrupamentos um email para cada aluno que precise aceder aos mesmos, possa aceder a uma plataforma, onde tem o Office 365, totalmente gratuito”, revela. O autarca explica que, desta forma, os alunos têm acesso, entre outros, ao Word, a folhas de cálculo e plataformas para videoconferências.

Mocinha adianta que, e tendo em conta que há alunos que não têm acesso à internet em casa, a câmara de Elvas vai distribuir, a partir de segunda-feira, dia 27, trezentos acessos gratuitos aos agrupamentos de escolas, para que, depois os façam chegar aos alunos que deles necessitam. Os custos relacionados com estes dispositivos são suportados pela autarquia, durante três meses.

O autarca garante ainda que, com esta medida, se procura, sobretudo, possibilitar que alunos mais desfavorecidos tenham acesso aos mesmos meios que os restantes.