João Grilo: pouco que temos tem de chegar a quem precisa

O município de Alandroal adotou medidas de apoio social aos munícipes de forma a fazer face a esta pandemia de Covid-19.

João Grilo, presidente da câmara de Alandroal, explica que “o objetivo é chegar a quem realmente precisa e está com dificuldades”, lembrando que dentro das limitações da autarquia uma vez que está abrangida pelo Fundo de Apoio Municipal, o que não permite generalizar determinado tipo de apoios”. O presidente diz que neste momento “os recursos são limitados e temos que fazer chegar o pouco que temos e a quem realmente precisa”.

Das medidas a implementar, “para famílias com empregos ou salários reduzidos devem primeiro solicitar os apoios da segurança social e do Estado, e em complemento podem pedir apoio ao município através do programa de apoio dedicado aos estratos sociais desfavorecidos.”

Dentro desse regulamento há apoios destinados ao arrendamento e disponibilização de senhas para aquisição de bens alimentares essenciais no comércio local, e apoios para creches”.

Mas há também um novo apoio para comparticipar despesas de água, eletricidade e gás, para quem ficou sem rendimentos, “e a quem é conferido um apoio de até 100 euros por mês para fazer face a estas faturas”, explica João Grilo.

Estes apoios são um complemento com outros, nomeadamente arrendamento, medicamentos, alimentação que fazem parte de outros programas já existentes.

João Grilo afirma que, basicamente “prevê-se que qualquer família que fique sem rendimentos para além daqueles aos quais pode recorrer, como o Rendimento Social de Inserção, pode ainda ter um benefício extra de até 230 euros por mês de apoios diretos do município”.

O município estimou, para estes dois ou três meses iniciais, uma verba de cerca 30 mil euros que estão reservados pelo Plano de Emergência Municipal, e neste momento, “esta é a resposta que o município pode dar, e que está articulada com as necessidades do território”.

João Grilo apela a quem ficar numa situação difícil, sem rendimentos deve dirigir-se à Segurança Social ou contactar o serviço de Ação Social do município, porque “seguramente no concelho de alandroal ninguém ficará sem condições de sobrevivência dignas, durante este período”, remata o presidente do município.