Deputados do PCP defendem saúde em Monforte e Sousel

Os deputados Paula Santos, João Dias e João Oliveira, do Partido Comunista Português (PCP), na Assembleia da República, formularam um documento dirigido à ministra da Saúde, sobre “dificuldades no acesso à saúde no distrito de Portalegre”, apontado os casos específicos nos concelhos de Monforte e Sousel.

Segundo os comunistas, “as extensões de saúde no concelho de Monforte foram encerradas”, o que, “no atual contexto de prevenção e contenção da doença Covid-19, deixa a população desprotegida e mais exposta ao risco”. Os monfortenses, na opinião os deputados, constituem “uma população envelhecida, com múltiplas patologias, de baixos rendimentos e sem mobilidade”, pelo que “o funcionamento das extensões de saúde é de grande importância para assegurar os cuidados de saúde da população, evitando concentrações e deslocações desnecessárias e prolongadas a outras unidades de saúde”.

Por outro lado, os deputados tiveram “conhecimento que, no concelho de Sousel, as consultas marcadas estão a ser, sucessiva e constantemente, desmarcadas” e que “os utentes são informados que os médicos de família apenas estarão disponíveis para a prescrição de baixas médicas e receituário”. No concelho de Sousel, segundo o PCP, “estas populações necessitam de vigilância médica e de enfermagem constante, que vai muito para além do receituário”.

Assim, os três deputados dirigiram, através do Governo, à ministra Marta Temido duas perguntas: querem saber “que medidas pretende o Governo tomar para assegurar o funcionamento das extensões de saúde, de forma a assegurar o acesso da população aos cuidados de saúde, no atual contexto do surto epidemiológico?” e “como pretende o Governo assegurar a vigilância médica e de enfermagem da população, de forma a preservar o seu bem-estar?”, num documento datado do passado dia 14.