Jaime Carmona considera ensino à distância “um desafio para todos”

O terceiro período letivo, em modelo de aprendizagem à distância, teve início ontem, em todo o país. Do primeiro ao nono ano, os alunos irão concluir o ano desta forma, sem realização de exames ou provas de aferição. A mesma medida será aplicada aos alunos do 10.º ano.

Já os estudantes de 11.º e 12.º anos, tendo em conta a realização dos exames nacionais, necessários para o ingresso no Ensino Superior, podem regressar à escola ainda antes do verão.

O diretor do Agrupamento de Escolas de Campo Maior, Jaime Carmona, lembra que nem todos os alunos têm acesso a computadores e internet nas suas casas, considerando ainda que o ensino, ou educação, à distância, como lhe prefere chamar, é um “desafio para todos”.

Ao nível do primeiro ciclo, explica Jaime Carmona, os manuais escolares foram entregues às crianças, para que possam acompanhar o respetivo programa curricular.

Carmona lembra ainda que há ainda a possibilidade dos alunos de 11º e 12º anos regressarem à escola, na primeira semana de maio, caso estejam reunidas as condições para que isso aconteça.

Para os alunos até ao nono ano, e a partir da próxima segunda-feira, a RTP Memória emite conteúdos pedagógicos temáticos, lecionados por professores, na chamada nova Telescola.

Já o calendário de exames do 11.º e do 12.º anos foi adiado, sendo que a primeira fase decorre entre os dias 6 e 23 de julho e a segunda entre 1 e 7 de setembro.

Quanto ao ensino pré-escolar, e porque este não pode ser assegurado à distância, o mesmo só poderá ser retomado quando forem revistas as atuais regras de distanciamento. Para estas crianças, dos três aos seis anos, o Ministério da Educação preparou conteúdos, que serão transmitidos, de segunda a sexta-feira, na RTP2, a partir das 9 horas.