Bombeiros de Elvas com dificuldades no pagamento de salários

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Elvas, tendo em conta os efeitos colaterais da pandemia de Covid-19, começa a enfrentar alguns problemas: entre eles, a dificuldade de pagamento dos salários aos seus funcionários.

Para esta situação, explica João Pedro Bugio, presidente da Comissão Administrativa da associação, tem contribuído o facto de, nesta altura, ter diminuído, drasticamente, a quantidade de transportes de doentes efetuados, principal fonte de receita para os soldados da paz elvenses.

“Os Bombeiros Voluntários de Elvas estão a atravessar um momento difícil, porque querem manter os seus postos de trabalho, querem manter o apoio à população, querem manter e reforçar os serviços que prestam no combate à pandemia de covid-19. No entanto, há uma diminuição da principal fonte de receita dos bombeiros”, explica João Pedro Bugio.

Bugio garante que a diminuição dos transportes realizados acabou por ter um “impacto muito negativo” nas contas da associação. Para fazer face à situação, adianta o presidente da comissão administrativa da associação, a mesma terá já solicitado um pedido de apoio à Câmara Municipal de Elvas: “temos ainda alguma capacidade financeira e, para além disso, foi pedido ao presidente da câmara de Elvas, para que houvesse aqui um apoio extraordinário, por não conseguirmos faturação suficiente para pagar as nossas despesas”.

“Penso que a autarquia elvense nos irá atribuir um subsídio e, com isso, será colmatada todas as nossas dificuldades em termos de tesouraria e ficará salvaguardado os pagamentos dos salários”, diz ainda.

Quanto aos salários do mês passado, João Pedro Bugio garante que os mesmos foram pagos aos cerca de 30 funcionários assalariados da associação “sem qualquer problema”. “Há funcionários que, quando pedem o subsídio de férias antecipado, está a ser pago”, assegura ainda.