Covid-19: como poupar nas contas de luz, água e gás

Com as famílias obrigadas a ficar em casa, em isolamento, é normal que, por estes dias, se registe um aumento dos consumos nos serviços essenciais: luz, água e gás.

De acordo com Helena Guerra, jurista na delegação de Évora da DECO, é importante, para diminuir esses consumos, “uma gestão cuidadosa dos aparelhos que estão em funcionamento”.

“Evitar ao máximo o uso de secador de roupa, secando a roupa ao ar livre, evitar ao máximo as torneiras abertas, evitar duches prolongados, e usar extensões corta-corrente” são alguns dos conselhos apresentados pela jurista, no sentido de se evitar o aumento dos consumos.

Lista completa dos conselhos da DECO:

– Faça uma gestão cuidadosa dos aparelhos que estão em funcionamento e evite usar aqueles que podem ser menos necessários: por exemplo, dar primazia ao estendal em vez da máquina de secar roupa, sempre que as condições climatéricas o permitam;

– Verifique se a temperatura de frigoríficos e arcas congeladoras estão ajustadas: embora dependa do modelo, no frigorífico, deve rondar os 5 a 8ºC e, no congelador, -17 a -20ºC. Se possível, certifique-se de que as grelhas traseiras estão limpas e desobstruídas. Abra estes aparelhos o menos possível;

– Evite ligar em simultâneo electrodomésticos com consumos significativos de electricidade, como cafeteiras eléctricas, fornos eléctricos, máquinas da roupa e da loiça e aspiradores, para reduzir os picos de consumo na rede eléctrica. Para tal, se as máquinas da roupa e da loiça tiverem a função de arranque diferido, use-a para que funcionem de madrugada;

– Na altura de lavar roupa e loiça, use as máquinas com a carga completa. Atenção: respeite a dose de detergente indicada na embalagem, pois não é por colocar mais que a loiça ou a roupa ficam mais bem lavadas. Se alguém em sua casa estiver doente, lave a roupa de cama, toalhas, roupa interior e pijamas a temperaturas mais elevadas – em regra, “algodão a 60°C” –, desde que a máquina e a roupa o permitam. Se a máquina da roupa não possuir o programa indicado, use uma máquina de secar, para sujeitar a roupa a temperaturas mais elevadas. Caso não tenha este equipamento, e a roupa branca o permitir, coloque um pouco de lixívia no compartimento do detergente, antes de pôr a roupa a lavar;

– Como é possível regular a temperatura na máquina da loiça, se houver alguém em casa infectado, prefira o programa automático, normal ou universal em detrimento do eco, porque, em regra, usam uma temperatura entre os 55 e os 65ºC;

– Desligue os equipamentos da corrente, para não ficarem a consumir em stand-by: use extensões com interruptor, por exemplo;

– Caso seja inadiável comprar um novo electrodoméstico, como um frigorífico ou uma arca, opte por aparelhos com baixos consumos de electricidade (veja a etiqueta energética e os nossos testes);

– Acenda apenas as luzes que são precisas. Ao sair da divisão, apague-as;

– Sempre que puder, varra a casa e aspire a fundo, pelo menos, uma vez por semana;

– Caso tenha um sistema fotovoltaico para autoconsumo (ou outro sistema de produção de electricidade para autoconsumo, como geradores eólicos), procure alinhar o ciclo de utilização dos electrodomésticos com de produção do sistema para autoconsumo.

 

Gaste menos água quente

Ao reduzir o consumo de água quente, baixa também o gasto de gás ou de electricidade.

– Regule a temperatura do equipamento de produção de água quente sanitária na posição “Eco” ou num valor próximo do usado na torneira;

– Prefira sempre tomar duche e evite banhos de imersão;

– Se tiver um termoacumulador eléctrico, procure tomar banho fora de horas de maior consumo (por exemplo, a meio da manhã ou da tarde), para que a resistência do termoacumulador se ative em períodos de menor congestionamento da rede eléctrica;

– Nos tempos livres, e caso tenha os materiais em casa porque já pensava instalá-los, aproveite para algumas obras de bricolage e manutenção na sua habitação, que ajudarão a reduzir o consumo de água: instale redutores de caudal nas torneiras e cabeças de chuveiro; repare fugas e torneiras a pingar; isole as tubagens de água quente da habitação, caso estas estejam no exterior das paredes e acessíveis.