Universidade de Évora sem aulas presenciais este ano letivo

A Universidade de Évora (UÉ) decidiu suspender as aulas presenciais até ao final deste ano letivo, sendo substituídas por ensino à distância.

A decisão em vigor desde 16 de março mantém-se, sendo que apenas em casos excecionais, de que são exemplo as aulas de laboratório, se prevê a eventual reposição presencial, no final do calendário escolar e em moldes ainda a definir.

Segundo António Mira, professor na Universidade de Évora, na área da Biologia, esta é uma medida preventiva, que considera “acertada”, lembrando que as aulas, por norma, terminam sempre no final de maio. “Vai haver alguma restrição ao contacto e à circulação das pessoas até final de maio. O terceiro período terminava sempre no final de maio. Mesmo que estas medidas comecem a ser aliviadas, é óbvio que isso não vai ser assim de repente, as pessoas não vão poder estar todas juntas, em grandes concentrações”, diz ainda.

O docente lembra ainda que, nesta altura, é “necessário que as pessoas se preparem”, pois ainda está “toda a gente a aprender como é que, nestas circunstância, podem ser mais eficazes na transmissão de conhecimentos”.

Já a Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, através de um comunicado, reitera o apelo à comunidade académica para que mantenha o civismo, o distanciamento social, bem como a observância das medidas de contenção amplamente divulgadas pelas Autoridades de Saúde. No mesmo documento são estabelecidas normas adaptadas para os estudantes alojados nas residências universitárias da UÉ, nomeadamente, em relação a saídas ou situações que exigem isolamento, por forma a garantir o cumprimento das normas de proteção e segurança favoráveis à contenção e mitigação da COVID-19.

Ana Costa Freitas salienta, ainda, que “a situação que se vive é desconhecida para todos, mas, do pouco que é conhecido, temos uma garantia, o afastamento social é importante e, para já, parece ser o único meio para evitar uma propagação acelerada do surto”.

Recorde-se que a Universidade de Évora iniciou precocemente as medidas para contenção da COVID-19, desde a suspensão de visitas aos edifícios e das mobilidades de estudantes, docentes e não-docentes, até à efetiva suspensão das aulas presenciais a partir de 16 de março.

Durante este período foram diversas as medidas e as ações implementadas. Por um lado, dirigidas à comunidade académica, como o acesso a formação em e-Learning , ministrada por uma equipa de professores da UÉ com larga experiência nesta área e pelos Serviços de Informática, a disponibilização de ferramentas de ensino à distância, a criação de uma linha de apoio psicológico ou iniciativas de natureza lúdica, para ocupação de tempos livres, no sentido de partilha e minimização dos efeitos deste isolamento.