Mocinha defende prevenção imediata para evitar contágios

A Câmara Municipal de Elvas, tendo em conta a evolução do surto do COVID-19 no país, decretou um conjunto de medidas, para prevenir a propagação da doença.

Dessa forma, a partir desta quinta-feira, dia 12, são cancelados todos os eventos programados, como é o caso da Exposição Canina, Festival da Juventude, Expo Noivos, Feira Escolar e Torneio da Malha, estando ainda encerrados ao público espaços municipais, como piscinas, biblioteca, Museu de Arte Contemporânea, Casa da Cultura, Cineteatro e Auditório São Mateus.

Nuno Mocinha, presidente da câmara de Elvas, lembra que se está “perante um problema de saúde pública”, pelo que estas medidas foram tomadas, em articulação com o delegado de Saúde de Elvas e a Direção-Geral de Saúde, no sentido de evitar a infeção de pessoas.

“A Câmara, em vez de ser reativa, deve ser proativa, ou seja, em vez de estar à espera que cheguem cá os casos e só depois tomar as medidas, entendemos que era melhor começar a tomar já essas medidas para evitar que pudessem haver contágios”, revela Mocinha.

A suspensão da programação da câmara nos próximos tempos, garante Mocinha, serve para proteger a população. “Suspenderam-se eventos públicos e atividades dentro de equipamentos municipais”, adianta, para que depois não possa “haver nenhum lamento”. “Mais tarde, se por acaso houvesse algum contágio, por essa via, era porque não tínhamos tomado qualquer providência”, acrescenta.

Mocinha lembra ainda que este coronavírus que é “um risco real”, ainda que não haja qualquer caso registado no concelho. Considera, por isso mesmo, que não é caso para se entrar em alarmismos, embora seja crucial proteger os elvenses e quem visita Elvas.

Para além do cancelamento de eventos e encerramento dos espaços municipais, a Câmara de Elvas suspende ainda todas as deslocações em autocarros municipais para fora do concelho.

Apesar de continuar em funcionamento, a autarquia apela ainda à população para que, em caso de necessidade de contacto com o município, as pessoas devem preferir os meios telefónico ou eletrónico, em vez do contacto presencial.