Propinas do Ensino Superior no próximo ano letivo baixam 20%

No próximo ano letivo, o valor máximo das propinas a ser cobrado pelos estabelecimentos de Ensino Superior é de 697 euros.

Trata-se de uma descida de 20 por cento, face aos 871 euros que foram fixados para o ano letivo em curso, e de uma proposta do Bloco de Esquerda votada recentemente no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2020 na Comissão de Orçamento e Finanças.

Para o Politécnico de Portalegre, garante o presidente Albano Silva, esta não é uma medida que causa preocupação, até porque o Governo irá fazer o ressarcimento do valor que corresponde a esta descida das propinas. “Assinámos um contrato de legislatura com o Governo, que nos diz que as implicações financeiras provocadas por alterações legislativas, somos ressarcidos delas”, explica. Espera, contudo, que esta medida não se vá refletir numa redução do apoio de ação social aos alunos.

Albano Silva assegura ainda que esta redução das propinas será “benéfica para todos”, até porque o importante é que “os alunos não deixem de estudar, por não terem possibilidades financeiras”.

A descida do valor das propinas apenas se aplica a licenciaturas, e não a cursos posteriores como mestrados ou doutoramentos. Esta redução implicará um custo de 50 milhões de euros ao Estado.