Coronavírus: o que deve saber

Coronavírus

Em dezembro de 2019, foi identificado na província de Hubei, na China, um surto de um novo vírus da família dos Coronavírus designado por SARS-CoV-2/COVID-19. Este surto, que atingiu maior dimensão na China, tem vindo, gradualmente, a disseminar-se por vários países e Continentes.

Tipo de Vírus

Os coronavírus (CoV) são uma grande família de vírus que causam doenças que podem causar desde uma constipação comum a doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV). O coronavírus (COVID-19) é uma nova estirpe que não foi previamente identificada em humanos.

COVID19 acrónimo que soma CO+VI+D+19

CO- tipo de vítrus Corona

VI – Vírus

D – Disease (em inglês doença)

19 – foi descoberto em 2019

Sintomas frequentes

Os sintomas mais frequentes da doença são febre, tosse, falta de ar e dificuldades respiratórias. Em casos mais graves, a infeção pode causar pneumonia, síndrome respiratória aguda grave, insuficiência renal e até a morte.

Transmissão do vírus

O modo de transmissão é idêntico ao da gripe sazonal. O vírus transmite-se de pessoa para pessoa através de gotículas libertadas durante a fala, tosse ou espirro. Os contactos mais próximos, a menos de 1 metro, com uma pessoa infetada podem representar, por isso, uma situação de risco. O contágio pode também verificar-se indiretamente através do contacto com gotículas ou outras secreções depositadas em objetos ou superfícies.

Virus é resistente

Os estudos demonstram que o vírus pode manter-se ativo durante várias horas nas superfícies e, por isso, é importante mantê-las limpas, utilizando produtos de limpeza e desinfeção habituais.

Incubação

O período de incubação, ou seja, o tempo que decorre entre o momento em que uma pessoa é infetada e o aparecimento dos primeiros sintomas, pode variar entre 1 e 14 dias.

O que é um caso suspeito?

Segundo orientação nº 006/2020 de 26/02/2020 da Direção-Geral de Saúde, para a Identificação de casos suspeitos de infeção deverá ser utilizada os seguintes critérios:

Clínicos: Febre, tosse ou dificuldade de respiração

Epidemiológicos: Viagens para áreas/países de risco, contato com doentes infetados ou profissional de saúde ou pessoa que tenha estado em local onde se trata doentes com COVID

Medidas de prevenção

Lavar das mãos – considerado o meio mais eficaz de prevenção consiste em lavar frequentemente as mãos com água e sabão durante pelo menos 20 segundos.

Etiqueta respiratória – evitar tossir ou espirrar para as mãos; tossir ou espirrar para o antebraço ou manga, com o antebraço fletido ou usar lenço de papel; higienizar as mãos após o contacto com secreções respiratórias.

Conduta social – alterar a frequência e/ou a forma de contacto com outras pessoas – evitar o aperto de mão, beijos e abraços.

Reduções de deslocações – deverão ser evitadas as deslocações não críticas, em especial para zonas de maior risco, tanto na esfera profissional como na privada.

Se tiver sintomas

Deverá contactar o Saúde 24 (808 24 24 24) que lhe vai dar instruções de como atuar

Não entre em pânico