Clube de Saúde do SCC trabalha para a comunidade

O Clube de Saúde do Sporting Clube Campomaiorense (SCC) abriu portas em 2004, depois do término do futebol profissional no clube.

As instalações destinavam-se “à recuperação de jogadores e as mesmas foram aproveitadas para dar origem a este Clube de Saúde, de forma a servir a comunidade, contanto com 19 especialidades médicas”, como referiu à Rádio ELVAS Filipa Folgado (ao lado, na fotografia), coordenadora clínica no clube.

Das 19 especialidades, faz parte a imagiologia (radiografias e ecografias), que “é o único no concelho,” assumindo-se como uma “mais-valia uma vez que os únicos locais que dispõem desta especialidade são os hospitais públicos, que têm longas listas de espera”, explica Filipa. Para além desta, há especialidades de ginecologia, ortopedia, medicina física e reabilitação, terapia ocupacional, otorrinolaringologia, pediatria, psicologia, medicina interna, geral e familiar e medicina quântica e chinesa.

As medicinas alternativas têm sido uma grande aposta, uma vez que, atualmente, há uma procura cada vez maior e têm vindo a evidenciar-se. O Clube de Saúde vai iniciar cursos de preparação para o parto com fisioterapeutas e enfermeiros, porque segundo Filipa Folgado, “há muitas grávidas e consequentemente uma maior taxa de natalidade”.

O Clube de Saúde do Sporting Clube Campomaiorense está aberto ao público em geral e não é necessário ser sócio para poder usufruir dos seus serviços de saúde; para marcar consulta, basta dirigir-se ao centro, ligar ou enviar um e-mail, sendo que o clube dispõe de vários acordos com seguradoras.

Uma vez que a clínica está anexa às instalações do Estádio Capitão César Correia, existe um grande apoio aos atletas do Sporting Campomaiorense; por exemplo, no tratamento de lesões nos jogos, existindo três terapeutas para estes casos. Também neste sentido são elaborados protocolos junto dos atletas, pelos fisioterapeutas, para alertar para as boas práticas de aquecimento nos jogos, de forma a evitar lesões e também para uma alimentação saudável.

Quanto a atividades dinamizadas pela clínica, Filipa explica que “na Semana do Idoso, as enfermeiras realizam medições da glicémia e pressão arterial, uma forma de alertar para os cuidados a ter nesse sentido.”

Filipa trabalha, há seis anos, no clube de saúde; apesar de ser coordenadora, é também radiologista, assumindo que esta é a sua verdadeira “paixão” e adianta ainda que gosta muito “de fazer parte desta que é uma família”, afirma que “somos uma equipa pequena, mas fantástica, é muito bom trabalhar aqui”, confessa. O objetivo “é trabalhar para que a comunidade venha até nós e nós até ela, e fortalecer os laços com a comunidade”, refere Filipa.

No total, são 54 pessoas que trabalham no Clube de Saúde e, anualmente, realizam-se cerca de 21 mil atos médicos.