PSD quer Paula Calado candidata à câmara de Elvas

Paula Calado, natural de Elvas, é professora no Agrupamento de Escolas nº 3 de Elvas, integrou a lista do Partido Social Democrata (PSD) às eleições do Parlamento Europeu pelo distrito de Portalegre e foi número dois pelo distrito nas eleições para a Assembleia da República.

Ingressou na política em 2017, como militante, a convite do candidato na altura pelo PSD, em Elvas, Luís Manuel Caldeira Fernandes, assumindo que o PSD é um partido com o qual sempre se identificou e simpatizou.

Paula Calado afirma que o PSD, entre muitas coisas, “é considerado o partido mais português de Portugal, que não obedece a nenhum modelo importado e nasceu com o objetivo de trazer bem estar e desenvolvimento ao país”.

“Até hoje em política o que tenho conseguido não é por iniciativa própria”, nem nunca se impôs “a nenhum lugar, tudo teve origem num convite”, afirma Paula. Acrescenta que faz tudo “com empenho e o melhor que pode” e se alguém considera que pode servir para algo mais, a Paula pondera e aceita ou não o convite.

Paula Calado afirma que “foi com grande agrado” que viu o seu nome ser apontado para as Eleições Europeias e também para a curta lista para candidata à Assembleia, mas refere que “o convite mais incrível” que teve foi, recentemente, para integrar a Comissão Nacional do PSD, como vogal, que acredita que foi pelo seu “empenho e valor”, algo que considera bastante “gratificante” e jamais pensou ser chamada para este cargo, tendo pouco tempo na política.

Quando questionada sobre a a visão distrital do partido sobre esta sua entrada para a Comissão Nacional, Paula Calado explica que “foi vista com muito agrado”.

No congresso recente em Viana do Castelo, o secretário-geral do PSD, José Silvano, quando questionado sobre o número de mulheres no partido, mencionou o nome de Paula Calado,  como candidata à câmara de Elvas. Paula afirma: “foi com surpresa que soube” e que tomou “conhecimento destas declarações através da comunicação social”. Questionada sobre este assunto, Paula Calado diz que “o secretário-geral do PSD poderá ter feito estas declarações por existir vontade de que assim seja, por parte do partido a nível nacional, para que venha a ser candidata à câmara de Elvas”. E adianta que “no entanto, o secretário-geral sabe que não é assim que estas escolhas se processam; primeiro os militantes da concelhia de Elvas do partido terão que propor um nome, a distrital tem uma palavra a dizer e, por último, a nacional ratificará ou não essa escolha”.

Paula Calado afirmou ainda sobre a sua vontade de ser ou não candidata à câmara de Elvas, que “o que eu quero é que a situação em Elvas melhore, há muita coisa para fazer pela cidade e penso que o PSD, sendo o grande e sério partido que é, terá de escolher o melhor candidato”. Ainda não sabendo se é ou não a escolhida, diz que não vira costas a um desafio, depois de ponderar, mas sempre a decisão que tomar será “a bem do partido, mas também a bem do concelho de Elvas.” Assumindo a candidatura, “como uma possibilidade”.

Foi com uma “mensagem de esperança para toda a gente”, que Paula Calado terminou, dizendo que “está plenamente convencida que a situação em Elvas, aos níveis que precisa de ser melhorada, será melhorada; há muita gente nova na cidade sem medo de assumir a luta política e estou certa que, assumindo, muita coisa melhorará nos próximos tempos”.