Festival da Canção em Elvas gera orgulho em Mocinha

A realização da final do Festival RTP da Canção, no dia 7 de março, no Coliseu Comendador Rondão Almeida, em Elvas, é, para o presidente da câmara, Nuno Mocinha, “um motivo de orgulho”, assim como “um reconhecimento, por parte da RTP, do trabalho feito” na cidade e no concelho.

Mocinha não tem dúvidas que esta final do Festival da Canção “levará o nome de Elvas mais longe”, sendo que o evento será “um dos pontos altos dos últimos anos”. “A cidade ter sido escolhida, pela própria RTP, para além de uma grande honra, é um reconhecimento que Elvas tem feito um percurso que merece essa confiança”, acrescenta.

“Vamos ser muito falados”, assegura Mocinha, lembrando que, e a propósito deste Festival da Canção, Elvas será muito divulgada, com “notícias dirigidas ao público em geral”, não só sobre o certame musical.

O autarca considera ainda este “um grande desafio”, mas também “uma grande responsabilidade”. “Aquilo que desejo é que quem vier a ser o vencedor, possa vir a ser o vencedor também na Eurovisão, para que possa trazer mais um título para Portugal”, remata, fazendo alusão à conquista histórica de Salvador Sobral, em 2017, em Kiev, na Rússia.

Na final, em Elvas, estarão as quatro canções apuradas em cada uma das semifinais, a acontecerem nos dias 22 e 29 de fevereiro, nos estúdios da RTP. A primeira será apresentada por Tânia Ribas de Oliveira e Jorge Gabriel e a segunda por Sónia Araújo e Carlos Malato. Filomena Cautela e Vasco Palmeirim serão os responsáveis pela apresentação da final do Festival da Canção, em Elvas. Inês Lopes Gonçalves terá a seu cargo, tanto nas semifinais, como na final, a Green Room.

Entre os nomes dos intérpretes da edição deste ano do festival constam os de Bárbara Tinoco, Blasted e Jimmy P.