Elvas pode vir a ser reconhecida de novo pela UNESCO

O município de Elvas, juntamente com os de Almeida, Marvão e Valença, e através dos respetivos presidentes de câmara, fizeram, no passado mês de dezembro, a entrega do dossiê de candidatura conjunta das Fortalezas Abaluartadas da Raia a Património Mundial da UNESCO.

Nuno Mocinha, presidente da Câmara Municipal de Elvas, lembra que esta é uma candidatura que tem por objetivo “criar um percurso pelo património da fronteira mais antiga da Europa”.

“O dossiê de candidatura já foi entregue, para que ele possa ser analisado tecnicamente, melhorado, e estamos em crer que, daqui a dois anos, podemos vir ter a boa notícia desta classificação”, adianta o autarca elvense.

Um percurso novo, uma nova classificação e mais atração de pessoas à cidade, de acordo com Mocinha, são as vantagens desta candidatura e possível classificação para Elvas, mesmo quando a cidade-quartel fronteiriça e suas fortificações já são Património Mundial da UNESCO, desde 30 de junho de 2012.

As quatro autarquias farão, agora, os esforços necessários para o sucesso do processo de classificação dos bens das Fortalezas Abaluartadas da Raia a Património Mundial pela UNESCO. Todavia, tratando-se de uma candidatura aberta, para lá dos quatro municípios iniciais, outras fortalezas, de Portugal e Espanha, podem vir a juntar-se a este grupo inicial.