Life Lines FM: impacto das estradas na morte de aves

Por ano, morrem mais de dois milhões de animais por atropelamento ou colisão nas estradas portuguesas. A juntar às estradas, muitas são as estruturas lineares, construídas pelo Homem, que também comprometem a biodiversidade.

Ao nível das aves, revela André Oliveira, bolseiro do projeto Life Lines, são sobretudo os passeriformes e as aves de rapina os mais afetados por estas estruturas.

Este ano, na primavera, e no âmbito do projeto Life Lines, realizaram-se mais de uma centena de pontes de escutas espontâneas, algo que se repetirá em 2020, com o objetivo de perceber se as medidas aplicadas estão a permitir a recuperação das espécies.

Os mamíferos são os grupos mais afetados nas estradas, caminhos, ecopistas e linhas de média e alta tensão. Dentro deste grupo, as espécies mais afetadas têm sido a raposa, saca-rabos, fuinha e texugo. As aves constituem cerca de 30 por cento das espécies registadas.