“Inovação e resiliência”: pilares fundamentais ao desenvolvimento da região

A visita de Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial, ao distrito de Portalegre, culminou, ao final da tarde desta segunda-feira, 9 de dezembro, com passagem por uma empresa de tecnologia de precisão, sediada na Zona Industrial de Elvas.

Presentes nesta visita estiveram vários autarcas da região, sendo que, para Nuno Mocinha, presidente da câmara de Elvas, é de “registar esta aproximação por parte do Governo, nomeadamente da senhora ministra da Coesão, que quis vir ao território e ouvir os autarcas”.

A valorização do interior, lembra Mocinha, está “sempre em cima da mesa”, sendo que, agora, está “na hora” de também esta região “dar o seu contributo para que isso seja possível”.

Roberto Grilo, presidente da  Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), lembra que “não é fácil, de um dia para o outro, alterar o ciclo de descentralização que caracteriza o interior”, mas que “é precisamente no sentido de contrariar essa tendência que os municípios  têm trabalhado”.

Inovação e resiliência, garante ainda Roberto Grilo, são os principais patamares de uma estratégia que procura responder a projetos diferenciadores e que colocam o Alentejo “no topo dos topos daquilo que melhor se faz no país e na Europa”.

De recordar que, para além da empresa em questão em Elvas, Ana Abrunhosa esteve ainda, durante a manhã, reunida com os 18 presidentes de câmara que compõem a Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, conheceu, em Campo Maior, o projeto do Centro de Inteligência Competitiva e a fábrica da Novadelta, do Grupo Nabeiro.