População contra agressões e ofensas a bombeiros

Na sequência das agressões sofridas pelos Bombeiros Voluntários de Borba e ameaças aos Bombeiros de Elvas, a Rádio ELVAS foi conhecer a opinião da população sobre estas situações.

Júlio Costa considera que “estas ações são feias” e lamenta que “a polícia não tenha força para agir”. Já Francisco Marmelo considera que “os responsáveis deveriam responder perante a justiça sobre os atos efetuados”. Para Manuel Silveirinha” estas ações não têm explicação por estamos a falar de pessoas (bombeiros) que só praticam o bem”.

Joaquim Branco, comandante dos Bombeiros Voluntários de Borba, relata-nos o que aconteceu na noite de 1 para 2 de novembro: “fomos aqui abordados, pior um grupo de 20 indivíduos, para socorrer uma vítima inconsciente. Os nossos operacionais questionaram as pessoas se já tinham chamado o 112 e a partir dai partiram para a agressão aos operacionais que os atenderam, que tiveram que fugir e resguardar-se dentro das repartições e viaturas do quartel”.

A GNR de Borba esteve no local e “os dois bombeiros agredidos fisicamente tiveram que ser assistidos no Centro de Saúde de Estremoz”.

De recordar que só neste mês de novembro, elementos de duas corporações, Borba e Elvas, foram alvo de agressões e insultos por parte de indivíduos.

Entretanto, a Liga dos Bombeiros Portugueses repudiou os “atos de violência” perpetrados contra bombeiros das corporações de Borba e Elvas e solicitou ao Governo uma “resposta urgente” sobre quais as medidas de segurança que preconiza.

Já o partido CHEGA, marcou presença na manifestação de apoio aos bombeiros de Borba, que se realizou no passado fim de semana, onde o seu representante, André Ventura, garantiu que quer tornar crime público qualquer agressão contra bombeiros.