Consequências de ser fiador da DECO desta semana

No momento em que uma pessoa aceita ser fiadora de alguém, está a colocar o seu património como garantia de uma dívida de terceiros, pois fica obrigado perante o credor a responder pelas dívidas em caso de incumprimento.

Isabel Curvo (na foto), jurista na delegação de Évora da DECO, explica que “há um aspeto no contrato que pode retirar responsabilidades ao fiador até que todos os bens em nome do devedor sejam executados que é a questão do benefício da exclusão prévia”.

Um fiador não pode deixar de o ser, regra geral. Ser fiador implica assumir uma obrigação da qual só poderá desvincular-se se o credor e o devedor aceitarem. Mas é pouco provável que o credor aceite ficar com menos uma garantia.

As consequências de ser fiador é o tema da edição de hoje da rubrica da DECO.