Presidente da República recebe entidades de Borba

O Presidente da República recebeu, em audiência, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, os presidente e vice-presidente da Câmara Municipal de Borba, António Anselmo e Joaquim Espanhol respetivamente, o comandante do Comando Territorial de Évora da GNR, coronel Joaquim Nobre Grenho, e o comandante da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Borba, Joaquim Branco, que esteve em Belém acompanhado por outros elementos da corporação.

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa ouviu exposições acerca dos acontecimentos de que resultaram dois bombeiros feridos, assim como da determinação de todos os presentes em assegurar a salvaguarda do Estado de Direito Democrático, inclusivo e tolerante, penhor dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos.

O Presidente da República registou, com apreço, a determinação expressa por responsáveis dos Bombeiros e de Forças de Segurança. E recordou o que tinha afirmado, no seu discurso de posse do Governo, quanto à importância essencial de criar condições acrescidas para valorizar a missão e o estatuto das Forças Armadas e das Forças de Segurança, natural e nomeadamente extensível aos bombeiros, quer voluntários, quer profissionais.

A reunião teve lugar no Ministério da Administração Interna, tendo Eduardo Cabrita reafirmado a solidariedade para com os Bombeiros de Borba e com a atuação das forças de segurança, já manifestada no passado sábado, na sequência do incidente ocorrido no quartel da corporação.

Do encontro resultou o compromisso, entre todas as partes, de aprofundamento do trabalho em conjunto que permita uma intervenção alargada ao nível da segurança e da integração.

Este trabalho será desenvolvido no âmbito de um Contrato Local de Segurança, a celebrar a breve prazo com o município de Borba, que envolverá as entidades com competências na área da segurança, habitação, segurança social, mediação, bem como representantes das instituições e da comunidade locais.

Os contratos locais de segurança são um instrumento privilegiado para colocar em prática a cooperação institucional à escala local entre administração central, autarquias e parceiros locais, em interação com a comunidade.