Tradições e Eco Arte em destaque no último encontro da EUROBEC

O último de três encontros das crianças da Escola Básica de Santa Luzia, do Centro Escolar Comendador Rui Nabeiro, em Campo Maior, e da Escola Agila de Badajoz, no âmbito da EUROBEC, decorreu esta quarta-feira, 30 de outubro, em Elvas.

“Recebemos as parceiras de Campo Maior e Badajoz, foram feitas várias atividades, relacionadas com os dois projetos (Eco Arte Educadora e “Raízes da Arte Popular”) e foi feito o encerramento”, revela Céu Peguinho, professora coordenadora deste programa.

Céu Peguinho assegura que estes projetos “são muito importantes”, seja “pelo conceito”, seja “pelos objetivos”, embora lembre que a continuidade dos mesmos depende do investimento do município de Elvas. “Se eu tiver que avaliar estes projetos, 80 por cento correu bem, e tem tudo para continuar”, adianta, acrescentando que cabe à autarquia continuar a “investir na educação e na cultura”.

“Os miúdos estão super entusiasmados e, em parceria, eles trabalham conhecimentos e a cooperação”, refere ainda a docente. A professora faz ainda um apelo ao município de Badajoz, assegurando que, ao contrário das autarquias de Elvas e Campo Maior, a professora espanhola que integrou estes encontros da EUROBEC nunca viu os seus projetos serem financiados.

Promover e dar a conhecer a cultura comum da Eurocidade, assim como aquilo que diferencia as três localidades em questão, foi um dos principais objetivos deste projeto, cofinanciado pelo INTERREG, Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal, através do FEDER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional).