Quercus exige suspensão da apanha noturna de azeitona

A Quercus exige ao novo Governo português que suspenda, de imediato, a apanha noturna de azeitona em olivais intensivos.

Na origem desta exigência, de acordo com Nuno Sequeira, vice-presidente da Direção Nacional da Quercus, está a morte de aves durante esta prática. Por noite, estima a associação ambientalista, são mortas entre 700 a mil aves.

“Nós tivemos acesso aos dados de duas ações de fiscalização que foram efetuadas pelas GNR, no início do ano, e sabemos que numa foram detetadas 140 aves mortas e noutra 235”, revela Nuno Sequeira.

“A Quercus exige assim, que neste início de campanha da apanha da azeitona, o Ministério do Ambiente e o Ministério da Agricultura tomem medidas urgentes no sentido de suspender a prática da apanha noturna de azeitona, realizada por meios mecânicos nos olivais superintensivos, devido aos impactes nefastos que esta tem na vida selvagem, e em especial na avifauna”, pode ler-se num comunicado enviado pela associação ambientalista às redações.