Elvas: erradicação da pobreza assinalada com mantas de retalhos

Com o objetivo de assinalar o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, assim como o Dia Municipal para a Igualdade, 28 instituições do concelho de Elvas uniram esforços para construir várias mantas de retalhos.

O trabalho foi apresentado na manhã desta terça-feira, 22 de outubro, na Praça da República, junto ao Posto de Turismo. As quatro mantas produzidas ficam expostas, nas sacadas das janelas e na torre do relógio da Casa da Cultura, até ao final do mês.

De acordo com a vereadora na Câmara de Elvas Vitória Branco, assinalar estes dias é chamar a atenção, sobretudo dos mais novos, para a importância de uma “sociedade mais justa, menos pobre e mais equitativa”. “A pobreza existe, é um flagelo e tem de ser tratada como a mesma nos carece”, adianta.

Vitória Branco lembra ainda o trabalho desenvolvido pelo município, em conjunto com as instituições do concelho, no combate à pobreza: “todos os dias, a parte da nossa ação social, em conjunto com estas as instituições, faz muito para tentar amenizar esse flagelo”. “Combater o isolamento, a falta de saúde, a alimentação, a limpeza das habitações… todos os dias se tenta fazer algo mais para que essas pessoas mais desprotegidas possam ter apoio e sentir-se parte integrante da nossa sociedade”, remata.

Dos oito aos 80, não há quem fique indiferente a este flagelo, pelo que não há quem tenha ficado de fora da construção destas mantas de retalhos. Ao todo, pelas várias instituições participantes, foram produzidos 169 retalhos.

O momento da apresentação das mantas de retalhos foi acompanhado pelas atuações musicais de duas jovens da associação Gota d’Arte.

A iniciativa surge enquadrada na semana nacional pelo Combate às Desigualdades e Erradicação da Pobreza, bem como no Plano Intermunicipal para a Igualdade do Alto Alentejo Este, elaborado pelos Municípios de Arronches, Campo Maior, Castelo de Vide, Elvas, Marvão, Monforte e Portalegre.