Entrevista na Rádio ELVAS: João Grilo, presidente da Câmara de Alandroal

O presidente da Câmara Municipal de Alandroal, João Grilo, esteve esta manhã de sábado, dia 12, em entrevista na Rádio ELVAS.

João Grilo, com dois anos de mandato começou por fazer um balanço positivo, desde que iniciou o seu mandato. O presidente referiu que “apesar de alguns contratempos, e atendendo ao ponto de partida está a conseguir cumprir os objetivos e está a conseguir desenvolver a estratégia para o concelho que assenta em fundos comunitários, uma vez que condição financeira assim o exige.”

O município está num plano de assistência que é FAM (Fundo de Apoio Municipal), um mecanismo que pretende reequilibrar os municípios. No caso do município de Alandroal, pretende-se que o mesmo mantenha as “contas certas”, como explicou o presidente, que quando iniciou o mandato, a autarquia tinha “uma dívida de 16 milhões de euros, no entanto, a mesma já foi reduzida em dois milhões de euros,” com referiu João Grilo.

A estratégia do município de Alandroal assenta principalmente na “genuinidade do concelho, partindo da sua localização geográfica”. A “proximidade ao Alqueva, com todo o desenvolvimento associado à agricultura e ao turismo, assumindo o investimento de expansão do regadio, e ainda a possibilidade de potenciar as praias e centros náuticos do concelho de forma a torna-las em áreas recreativas e de lazer para potencial o turismo no concelho.”

João Grilo menciona a zona dos mármores, que “tem um grande potencial de desenvolvimento, mas deve ser reestruturada e com inovação”. Outro forte incentivo para o concelho é a linha ferroviária que está em construção, e  que terá impacto no alojamento e restauração.

O presidente diz que é necessário “transformar o potencial do concelho de Alandroal “para que as pessoas possam beneficiar do mesmo, e que os mesmos sirvam de base aos investimentos privados, numa articulação entre investimento público e privado”.

Quanto à recuperação da Fortaleza de Juromenha, João Grilo refere que “não havia uma estratégia para tirar a fortaleza do estado em que estava,” por isso, “foi criado um instrumento legal que salvaguardava o que devia ser feito em Juromenha, no entanto faltava uma estratégia para o investimento.” Neste sentido o município apresentou candidaturas no âmbito do programa Alentejo 2020, o que “permitiu ao município iniciar a recuperação das muralhas, uma vez que contou com o apoio de várias entidades, que trabalharam em articulação”. O objetivo da autarquia passou também por transmitir a ideia de que, “quem está à frente das entidades tem um sentido de serviço público muito forte”.

João Grilo afirmou ainda que depois da recuperação da Fortaleza pretende-se que a mesma seja “um espaço que possa ter valências públicas, ou seja, do qual as pessoas possam usufruir, e acrescenta que este” é um investimento que tem um grande impacto na região.”

Para além destes, ouros temas foram abordados nesta entrevista, que pode ouvir aqui: