Direção dos Bombeiros de Elvas não aceita destituição

A direção administrativa da Associação dos Bombeiros Voluntários de Elvas, reunida ontem, 22 de agosto, deliberou que não aceita a deliberação da Mesa da Assembleia Geral, que exige a sua destituição.

“A mesa da Assembleia Geral não é um órgão associativo munido de poderes para destituir a direção administrativa e constituir uma Comissão Administrativa, não apenas porque inexistem fundamentos de facto para tal, como porque a lei e os estatutos da Associação dos Bombeiros Voluntários de Elvas o não permitem”, pode ler-se num documento enviado à comunicação social.

A direção dos bombeiros elvenses considera “ilegal, nula e de nenhum efeito a invocada deliberação da Mesa da Assembleia Geral, mantendo-se todos os elementos constitutivos da Direção Administrativa em exercício de funções de mera gestão”. A direção não reconhece “o menor direito à alegada Comissão Administrativa”, exige ao “alegado presidente da Comissão Administrativa” que remeta “aos órgãos da comunicação social da cidade de Elvas uma missiva retratando-se da ilegalidade cometida e reconhecendo à Direção Administrativa plena capacidade para o exercício do seu mandato, até à convocação de futuras eleições nos termos estatutários, para o que se concede o prazo de 10 dias”.

Findo o prazo de dez dias, os membros da Direção Administrativa em exercício “demitir-se-ão e gerarão a convocação de eleições em sede de futura Assembleia-Geral Extraordinária”.