Pacto Desenvolvimento Local 2030 apresentado em Campo Maior

Os Grupos de Ação Local (GAL), através da Federação Minha Terra, deram início a uma ampla discussão sobre o futuro do Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC) que conduziu à elaboração do Pacto Desenvolvimento Local 2030, apresentado na tarde desta sexta-feira, dia 12 de julho, no Centro Cultural de Campo Maior.

Maria João Botelho, Presidente da Federação Minha Terra, refere que “este pacto é uma chamada de atenção para que os parceiros envolvidos tenham melhores condições”. A responsável refere que o que distingue a Federação Minha Terra das restantes organizações “é o princípio da subsidiaridade que já nos permitiu criar milhares de postos de trabalho e trabalhar próximo das pessoas e dos territórios”.

Nelson de Souza, Ministro do Planeamento, vê sempre “com bons olhos as iniciativas da sociedade civil. No entanto, estamos numa época de balanço, uma vez que vai haver eleições legislativas, e é necessário ver o que correu bem e menos bem para que se possa melhorar”.

Ricardo Pinheiro, presidente da Câmara Municipal de Campo Maior e da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (CIMAA), garante que “aquilo que se pretende para o próximo quadro de apoio comunitário é ter um nível de agilização em elação a este tipo de projetos”.

Roberto Grilo, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, considera que “se trata de um pacto importante uma vez que tem uma incidência de 11 Grupos de Ação Local”.

O Comendador Rui Nabeiro também marcou presença na sessão e mostrou-se “confiante neste programa mas realçou que Campo Maior precisa é de coisas que possam dar mais-valias à vila”.

O Pacto Desenvolvimento Local 2030, já reuniu a subscrição de mais de 1500 organizações, desde autarquias locais, empresas, organizações da sociedade civil, como associações de agricultores, empresariais, sociais, culturais, etc., que pretendem assim demonstrar o seu apoio aos processos de desenvolvimento local e à necessidade de mobilização de financiamentos e instrumentos adequados à intervenção dos Grupos de Ação Local.