Life Lines nos postes de eletricidade de Palmela ao Divor

 

Para António Mira “a gestão integrada das várias infraestruturas pode contribuir para uma maior biodiversidade a um nível alargado na paisagem, já que os espaços contiguos às infraestruturas, como as bermas  ou as bases de apoio das linhas de energia são utilizados por diversas espécies”.

No âmbito do projeto Life Lines foram criadas verdadeiras “ilhas de biodiversidade”, sob os postes linhas de transporte de energia, de Palmela a Évora e de Estremoz a Divor, com a colaboração dos proprietários dos terrenos.

O Life Lines começou em agosto de 2015, com um financiamento de três milhões de euros de fundos da União Europeia, num total superior a cinco milhões de euros, sendo uma parceria entre a Universidade de Évora, que é a entidade coordenadora, e a empresa Infraestruturas de Portugal, as câmaras municipais de  Montemor-o-Novo e Évora, a Marca, que é uma Associação de Desenvolvimento Local, a Universidades de Aveiro e a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.