Militares mortos em Albuera recordados em Elvas

A Associação dos Amigos do Cemitério dos Ingleses em Elvas assinalou, ao final da manhã desta terça-feira dia 14, os 208 anos da Batalha de Albuera, prestando homenagem àqueles que morreram nos confrontos.

Célia Denne, da Associação dos Amigos do Cemitério dos Ingleses em Elvas, lembrou que esta batalha ficou marcada pela “união das forças militares portuguesas, espanholas e inglesas, na aldeia de Albuera, para impedir o avanço do exército francês e a invasão de Badajoz”. Célia garantiu ainda que estes militares “não morreram em vão”, pelo que serão sempre lembrados.

“Esta batalha representa o mais antigo acordo internacional entre Portugal e Inglaterra, mas significa também que faz 208 anos em que as invasões francesas tiveram um ponto alto naquilo que foi a possibilidade de Portugal continuar independente”, assegurou o coronel Joaquim Bucho, diretor do Museu Militar de Elvas. Bucho lembrou ainda que foi a “ajuda entre portugueses, ingleses e espanhóis, que fez com que, efetivamente, os franceses regressassem aos Pirenéus”.

Já Cláudio Carapuça, vice-presidente da Câmara Municipal de Elvas, não tem dúvidas que a história da Batalha de Albuerra se encarregou de dizer que “só juntos e unidos é que conseguimos fazer melhor pela nossa região, o nosso país e a Europa”. O autarca lembrou ainda a componente turística destas comemorações, assegurando ser um prazer receber todos aqueles que se associam a este momento simbólico.

No Cemitério dos Ingleses, estão sepultados cinco militares britânicos, que morreram na batalha, representando os milhares de soldados que perderam a vida no confronto bélico.