DECO exige legislação no negócio das tatuagens

Não há lei específica para a atividade das tatuagens e a sensatez dos profissionais por vezes, pode não ser suficiente para garantir as boas práticas necessárias. Maria Inês Alvarenga, jurista da DECO, considera que a lei é fundamental para garantir a qualidade e segurança nos serviços prestados.

Um estúdio de tatuagens tem que obter licenças, ter livro de reclamações, mas Maria Inês Alvarenga refere que nada está definido quando se fala no exercício da atividade.

A DECO já enviou esta exigência às entidades com responsabilidade na matéria. Para mais informações, pode consultar o site da DECO, em www.deco.proteste.pt.