Requalificar fortificação de Campo Maior é “um trabalho exemplar”

O presidente da Comissão Nacional da UNESCO, embaixador José Filipe Moraes Cabral, visitou hoje (segunda-feira, dia 10) o Projeto de Requalificação da Fortificação Abaluartada de Campo Maior e referiu à Rádio ELVAS tratar-se “de um trabalho exemplar”.

Ricardo Pinheiro, presidente do município campomaiorense, referiu que “a obra das muralhas está a meio”.

Esta obra inclui a criação de um Centro Interpretativo, uma Galeria de Arte e um Arquivo de Arqueologia, bem como uma sala temática e um espaço para a realização de evento.

Ricardo Pinheiro garante que “são estes espaços que vão servir como fator de diferenciação em relação a outras localidades”.

Ana Paula Amendoeira, diretora Regional de Cultura do Alentejo, garantiu tratar-se “de um trabalho desenvolvido de forma estratégica e integradora”.

A Fortificação Abaluartada de Campo Maior conta com uma área de 48 hectares e um perímetro de quatro mil metros. A requalificação dos 1600 metros de muralhas deverá estar concluída em 2020.