Rosália Guerra fala de condução no “Cuidar na Demência”

O diagnóstico de demência não significa “que a pessoa fique imediatamente incapacitada de conduzir, uma vez que esta patologia desenvolve de forma progressiva”, de acordo com Rosália Guerra (na foto), do Gabinete Alzheimer Maior de Campo Maior.

Os condutores têm obrigação de informar à autoridade competente – IMTT, de qualquer condição médica que possa afetar a sua capacidade de conduzir de forma segura.

A condução na pessoa com demência é o tema da edição de hoje do programa “Cuidar na Demência” na Rádio ELVAS.