Hotel Vila Galé Elvas cria 30 postos de trabalho

assinaturavilagaleelvas21out2016aO grupo Vila Galé pretende investir cerca de cinco milhões de euros no futuro Hotel Vila Galé Elvas, que deverá estar concluído em 2018.

O projeto apresentado para esta unidade hoteleira contempla 64 quartos, dois restaurantes com oferta gastronómica diferenciadora, bar e adega, biblioteca, piscina exterior, spa Satsanga com piscina interior e salão de eventos.

O Hotel Vila Galé Elvas vai criar 25 a 30 postos de trabalho e resultará da reabilitação do antigo Convento de São Paulo, no centro histórico desta cidade alentejana, estando a abertura prevista para 2018.

“Decidimos candidatar-nos à recuperação do Convento de São Paulo porque queremos contribuir para revitalizar esta cidade cheia de história. Faz parte da nossa ambição também puxar pelo interior do país e por regiões menos consolidadas do ponto de vista turístico, estimulando a fixação das populações, a criação de emprego e a geração de riqueza”, explica o presidente do Conselho de Administração do Grupo Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida.

Enquanto cidade-quartel fronteiriça, Elvas e as suas fortificações foram classificadas como Património Mundial em 2012. Aquela que é a maior fortificação abaluartada terrestre do mundo serve também de inspiração para o Hotel Vila Galé Elvas, que terá como tema as fortificações portuguesas.

“Temos também apostado na recuperação e reabilitação do património edificado e que não está a ser devidamente aproveitado”, sublinha Jorge Rebelo de Almeida, referindo-se ao Convento de São Paulo.

O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, considera este um projeto interessante: “o que temos hoje em Elvas é um exemplo muito interessante de projeto de recuperação de património que vai ser analisado. O Convento que estava em ruínas vai poder ser desta forma aproveitado e ser aberto a todos os que visitam Elvas, a todos os de Elvas e vai ser um motivo de diferenciação e de orgulho para esta cidade”.

Nuno Mocinha, autarca elvense, mostrou-se bastante satisfeito com a assinatura do contrato com a Vila Galé: “é um passo em frente no nosso concelho, mas também da cultura e na dinamização económica. Desejo ver este projeto rapidamente concretizado e pô-lo à disposição de todos nós”.

A assinatura do contrato entre a Câmara Municipal de Elvas e o grupo Vila Galé decorreu hoje no salão nobre dos paços do concelho.

Além da sua utilização religiosa, extinta com o fim das ordens religiosas, este imóvel, construído entre os séculos XVII e XVIII, foi também Tribunal Militar até 2004, acabando depois por vir a degradar-se.